Grupo carrinho instala armazém grossista “Bem barato” para exploração comercial dentro da unidade da FAA.

O grupo tem se afirmado no mercado empresarial desde 2017, ano que ganhou notoriedade empresarial, embora já existe amais de 30 anos. No entanto, foi a parti daquele ano que começou a dominar o mercado e a economia angolansa, actuando e “dominando” diversos sectores como, a Agricultura, Indústria, Banca, Administração Pública (REA) Empresarial entre outros, facto que o torna num Imperio.

A empresa tem um armazém de venda à grosso nas instalações da Forças Armadas Angolanas (FAA) com um contrato de fornecedor de produtos alimentares, como arroz, óleo farinha de trigo entre vários, comercializados ao preço de oferta, comparado ao práticado nos demais mercados da cidade capital, segundo apurou o jornal Exnpansão.

A Carrinho Empreendimentos, Lda, é responsável pelo armazém Bem Barato que está no espaço da FAA na Base Central Alimentar em Luanda. Além da titularidade da empresa, o grupo tem também um contrato de fornecimento de produtos às FAA.

O preço e a diversidade de oferta são as principais atracções desta loja, uma vez que é possível adiquirir produtos a preços baixos, como por exemplo, a caixa de óleo vegetal Tio Lucas custa 20.900 Kz contra os 29.450 Kz que custa num armazém do mercado dos Congolenses, e o saco de farinha de trigo Tio Lucas está a 16.950 Kz, contra os 23.320 no mesmo local. Já a caixa de lixívia Puma está a ser comercializada a 5.800 Kz contra os 9.500 Kz que custa num armazém do São Paulo. 

A comercialização de bens alimentares e outros produtos domésticos à população em geral, é de livre acesso para todos, ou seja, não há limitação no acesso, são fundamentalmente vendedores informais, comerciantes do centro da cidade e população que conhece o estabelecimento, que frequenta espaço. Entretanto, quando há escassez de produtos enlatados ou de primeira necessidade nos mercados informais o movimento aumenta na loja, apurou o Expansão.

O jornal apurou junto do responsável pela comunicação do Grupo Carrinho, José Pedro, que o armazém pertence à empresa e que tem uma parceria com as FAA de vendas com descontos consideráveis de produtos alimentares para os militares.

Grupo carrinho instala armazém grossista “Bem barato” para exploração comercial dentro da unidade da FAA

O grupo tem se afirmado no mercado empresarial desde 2017, ano que ganhou notoriedade empresarial, embora já existe amais de 30 anos. No entanto, foi a parti daquele ano que começou a dominar o mercado e a economia angolansa, actuando e “dominando” diversos sectores como, a Agricultura, Indústria, Banca, Administração Pública (REA) Empresarial entre outros, facto que o torna num Imperio.

Mar 22, 2024 - 13:20
Grupo carrinho instala armazém grossista “Bem barato” para exploração comercial dentro da unidade da FAA
© Fotografia por: DR
Grupo carrinho instala armazém grossista “Bem barato” para exploração comercial dentro da unidade da FAA

A empresa tem um armazém de venda à grosso nas instalações da Forças Armadas Angolanas (FAA) com um contrato de fornecedor de produtos alimentares, como arroz, óleo farinha de trigo entre vários, comercializados ao preço de oferta, comparado ao práticado nos demais mercados da cidade capital, segundo apurou o jornal Exnpansão.

A Carrinho Empreendimentos, Lda, é responsável pelo armazém Bem Barato que está no espaço da FAA na Base Central Alimentar em Luanda. Além da titularidade da empresa, o grupo tem também um contrato de fornecimento de produtos às FAA.

O preço e a diversidade de oferta são as principais atracções desta loja, uma vez que é possível adiquirir produtos a preços baixos, como por exemplo, a caixa de óleo vegetal Tio Lucas custa 20.900 Kz contra os 29.450 Kz que custa num armazém do mercado dos Congolenses, e o saco de farinha de trigo Tio Lucas está a 16.950 Kz, contra os 23.320 no mesmo local. Já a caixa de lixívia Puma está a ser comercializada a 5.800 Kz contra os 9.500 Kz que custa num armazém do São Paulo. 

A comercialização de bens alimentares e outros produtos domésticos à população em geral, é de livre acesso para todos, ou seja, não há limitação no acesso, são fundamentalmente vendedores informais, comerciantes do centro da cidade e população que conhece o estabelecimento, que frequenta espaço. Entretanto, quando há escassez de produtos enlatados ou de primeira necessidade nos mercados informais o movimento aumenta na loja, apurou o Expansão.

O jornal apurou junto do responsável pela comunicação do Grupo Carrinho, José Pedro, que o armazém pertence à empresa e que tem uma parceria com as FAA de vendas com descontos consideráveis de produtos alimentares para os militares.