Instituto Nacional de Estatística apresenta Índice de Preços referentes ao mês de Fevereiro.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) coloca à disposição dos utilizadores a Folha de Informação Rápida (FIR) do Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), com a nova estrutura de ponderação. 

As despesas em bens e serviços que constituiu a base para construir os ponderadores e o cabaz de produtos do IPCN foram extraídas dos resultados do Inquérito sobre Despesas e Receitas (IDR) realizado pelo INE, cobrindo as áreas urbanas e rurais de todas as províncias.

O Índice de Preços no Consumidor Nacional registou uma variação de 2,58% de Janeiro a Fevereiro de 2024. Comparando as variações mensais (Janeiro a Fevereiro de 2024) regista-se uma aceleração de 0,09%, ao passo que, em termos homólogos (Fevereiro 2023 a Fevereiro 2024), regista-se uma aceleração na variação actual de 1,72%.

As províncias que registaram menor variação nos preços foram, Moxico com 1,58%, Lunda Norte com 1,65% e Bié com 1,71%. E as províncias que registaram maior variação nos preços foram, Luanda com 3,45%, Cabinda com 2,20% e Huíla com 2,09%.

A taxa de variação do IPCN por classes de consumo, das doze classes, nove (09) apresentam taxas superiores à unidade. A classe Alimentação e bebidas não alcoólicas registou o maior aumento de preços, com uma variação de 3,12%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes, Saúde com 3,06%, Bens e serviços diversos com 2,89% e Vestuário e calçado com 2,71%.

A variação homóloga situa-se em 24,07%, registando um acréscimo de 12,53% em relação a observada em igual período do ano anterior (Fevereiro de 2023). Comparando a variação homóloga registada no mês anterior verifica-se uma aceleração de 2,08%.

Contribuição por classes de despesa, a classe Alimentação e bebidas não alcoólicas foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços com 1,85% durante o mês de Fevereiro, seguida das classes, Bens e serviços diversos com 0,20%, Saúde com 0,12% e Vestuário e calçado com 0,11%. As restantes classes tiveram contribuições inferiores a 0,11%.

Contudo, o INE agradece a todos os membros dos agregados familiares que declararam as suas Despesas e Receitas durante o período do inquérito. Por outro, mostra-se aberto a recepção de contribuições válidas que possam ajudar na melhoria da apresentação.

Instituto Nacional de Estatística apresenta Índice de Preços referentes ao mês de Fevereiro

O Instituto Nacional de Estatística (INE) coloca à disposição dos utilizadores a Folha de Informação Rápida (FIR) do Índice de Preços no Consumidor Nacional (IPCN), com a nova estrutura de ponderação. 

Mar 21, 2024 - 15:54
Instituto Nacional de Estatística apresenta Índice de Preços referentes ao mês de Fevereiro
© Fotografia por: DR
Instituto Nacional de Estatística apresenta Índice de Preços referentes ao mês de Fevereiro

As despesas em bens e serviços que constituiu a base para construir os ponderadores e o cabaz de produtos do IPCN foram extraídas dos resultados do Inquérito sobre Despesas e Receitas (IDR) realizado pelo INE, cobrindo as áreas urbanas e rurais de todas as províncias.

O Índice de Preços no Consumidor Nacional registou uma variação de 2,58% de Janeiro a Fevereiro de 2024. Comparando as variações mensais (Janeiro a Fevereiro de 2024) regista-se uma aceleração de 0,09%, ao passo que, em termos homólogos (Fevereiro 2023 a Fevereiro 2024), regista-se uma aceleração na variação actual de 1,72%.

As províncias que registaram menor variação nos preços foram, Moxico com 1,58%, Lunda Norte com 1,65% e Bié com 1,71%. E as províncias que registaram maior variação nos preços foram, Luanda com 3,45%, Cabinda com 2,20% e Huíla com 2,09%.

A taxa de variação do IPCN por classes de consumo, das doze classes, nove (09) apresentam taxas superiores à unidade. A classe Alimentação e bebidas não alcoólicas registou o maior aumento de preços, com uma variação de 3,12%. Destacam-se também os aumentos dos preços verificados nas classes, Saúde com 3,06%, Bens e serviços diversos com 2,89% e Vestuário e calçado com 2,71%.

A variação homóloga situa-se em 24,07%, registando um acréscimo de 12,53% em relação a observada em igual período do ano anterior (Fevereiro de 2023). Comparando a variação homóloga registada no mês anterior verifica-se uma aceleração de 2,08%.

Contribuição por classes de despesa, a classe Alimentação e bebidas não alcoólicas foi a que mais contribuiu para o aumento do nível geral de preços com 1,85% durante o mês de Fevereiro, seguida das classes, Bens e serviços diversos com 0,20%, Saúde com 0,12% e Vestuário e calçado com 0,11%. As restantes classes tiveram contribuições inferiores a 0,11%.

Contudo, o INE agradece a todos os membros dos agregados familiares que declararam as suas Despesas e Receitas durante o período do inquérito. Por outro, mostra-se aberto a recepção de contribuições válidas que possam ajudar na melhoria da apresentação.