João Lourenço liberta mais 135 milhões USD para 'limpar' constrangimentos ao longo da linha que liga Luanda ao novo Aeroporto Internacional.

O Presidente de Angola após percorrer uma extensão de 45 quilómetros de comboio, no troço que liga a capital do País a uma das províncias vizinha, decretou um despacho de contratação emergencial de 135 milhões USD para a requalificação da via de acesso, tudo isto, por ele não ter “gostado” do estado da via.

O Executivo assinou um despacho Presidencial, no dia 5 do corrente mês, de 135 milhões de dólares norte-americanos, destinado para “obras emergências” a reabilitação do ferroviário do Caminho de Ferro de Luanda.

Em Diário da República publicado esta segunda-feira, o Presidente João Lourenço autoriza a despesa do montante acima referido em obras emergências, projectos e fiscalização da empreitada que visa solucionar os constrangimentos constatados pelo PR e sua equipa durante a viagem de comboio que fez, da estação do Bungo ao Aeroporto Internacional António Agostinho Neto, localizado no município do Icolo e Bengo.

Numa primeira fase foram despendidos no valor global 125,4 mil milhões de dólares para a etapa emergencial, 5 mil milhões para o contracto de elaboração de projectos, coordenação e gestão da empreitada, e por fim 4,2 mil milhões para a fiscalização das obras.

João Lourenço ressalta que “persistem os inúmeros constrangimentos de segurança da exploração ferroviária, que levam perdas humanas diariamente”. Estão na base destes constrangimentos e perda do capital humano situações provocadas pelos cidadãos, como o furto e vandalização do material circulante e da linha feria, depósito de resíduos sólidos, venda ambulante e a redução da velocidade normal dos combóis.

Todavia, “é necessário inverter o quadro “declarou o PR. Por esta razão, “ autorizo a despesa e a formalização para a abertura do procedimento de contração emergencial “disse. A contratação centra-se em critérios matérias para a celebração de um contracto de empreitada para a segregação do Caminho de Ferro de Luanda. 

João Lourenço liberta mais 135 milhões USD para 'limpar' constrangimentos ao longo da linha que liga Luanda ao novo Aeroporto Internacional

O Presidente de Angola após percorrer uma extensão de 45 quilómetros de comboio, no troço que liga a capital do País a uma das províncias vizinha, decretou um despacho de contratação emergencial de 135 milhões USD para a requalificação da via de acesso, tudo isto, por ele não ter “gostado” do estado da via.

Jun 11, 2024 - 14:20
Última atualização   - 14:28
João Lourenço liberta mais 135 milhões USD para 'limpar' constrangimentos ao longo da linha que liga Luanda ao novo Aeroporto Internacional
© Fotografia por: DR
João Lourenço liberta mais 135 milhões USD para 'limpar' constrangimentos ao longo da linha que liga Luanda ao novo Aeroporto Internacional

O Executivo assinou um despacho Presidencial, no dia 5 do corrente mês, de 135 milhões de dólares norte-americanos, destinado para “obras emergências” a reabilitação do ferroviário do Caminho de Ferro de Luanda.

Em Diário da República publicado esta segunda-feira, o Presidente João Lourenço autoriza a despesa do montante acima referido em obras emergências, projectos e fiscalização da empreitada que visa solucionar os constrangimentos constatados pelo PR e sua equipa durante a viagem de comboio que fez, da estação do Bungo ao Aeroporto Internacional António Agostinho Neto, localizado no município do Icolo e Bengo.

Numa primeira fase foram despendidos no valor global 125,4 mil milhões de dólares para a etapa emergencial, 5 mil milhões para o contracto de elaboração de projectos, coordenação e gestão da empreitada, e por fim 4,2 mil milhões para a fiscalização das obras.

João Lourenço ressalta que “persistem os inúmeros constrangimentos de segurança da exploração ferroviária, que levam perdas humanas diariamente”. Estão na base destes constrangimentos e perda do capital humano situações provocadas pelos cidadãos, como o furto e vandalização do material circulante e da linha feria, depósito de resíduos sólidos, venda ambulante e a redução da velocidade normal dos combóis.

Todavia, “é necessário inverter o quadro “declarou o PR. Por esta razão, “ autorizo a despesa e a formalização para a abertura do procedimento de contração emergencial “disse. A contratação centra-se em critérios matérias para a celebração de um contracto de empreitada para a segregação do Caminho de Ferro de Luanda.