O Banco Montepio deixa de ter qualquer exposição no mercado angolano, após venda de participação no Finibanco Angola ao nigeriano Access Bank.

O Grupo Banco Montepio, através da sociedade Montepio Holding o banco português Montepio, accionista maioritário do Finibanco com 51% das acções vendeu a sua participação à maior instituição bancária nigeriana em activos e em número de clientes.

Em comunicado, o Grupo adianta que vendeu o Finibanco Angola (FNBA) e 51% do capital social e dos direitos de voto que detinha por um valor acima dos 27,2 milhões de euros, cerca de 25 mil milhões de kwanzas. 
O Finibanco Angola é um banco comercial com mais de 20 sucursais e cerca de 300 milhões de dólares de activos totais e opera em Angola desde 2008,entrou no grupo Montepio em 2010, aquando da aquisição do Finibanco por 350 milhões de euros, 100 milhões acima do valor de mercado.

A estrutura accionista do Finibanco é composta por dois accionistas colectivos, o grupo Montepio 51% e a Iberpartners empresa criada pelo empresário Jorge Armindo (ex-presidente da Portucel e actual líder da Amorim Turismo) 2,40%, e mais cinco sócios individuais, nomeadamente o banqueiro e dono do BNI, Mário Abílio Palhares detém 35,26%, o jurista Carlos Feijó 5,02%, o ex-presidente do conselho de administração da Angola Telecom, João Avelino Augusto Manuel 3,92%, Francisco Simão Júnior 1,60% e o deputado Dumilde das Chagas Rangel na qualidade de herdeira, detém os restantes 0,80%.

Access Bank PL, celebrou ainda acordos com accionistas minoritários do FNBA. De acordo com informações disponíveis no site oficial da instituição, o Access Bank possui agora 99,20% das acções e Dumilde das Chagas Simões Rangel, na qualidade de herdeira, detém os restantes 0,80%.

Assim sendo, obrigou a fazer o rebranding da marca agora como também mudou a sede transferindo-a para a Torre Victória Premium, na Avenida Gamal Abdel Nasser, nas Ingombotas.
 
O Access Bank tem uma rede de mais de 700 balcões e postos de atendimento em três continentes, contando com 45 milhões de clientes e 28 mil trabalhadores na Nigéria.

O banco detém ainda subsidiárias na África Subsaariana e no Reino Unido, a que se soma uma filial no Dubai e escritórios de representação na China, Líbano e Índia.

O Banco Montepio deixa de ter qualquer exposição no mercado angolano, após venda de participação no Finibanco Angola ao nigeriano Access Bank

O Grupo Banco Montepio, através da sociedade Montepio Holding o banco português Montepio, accionista maioritário do Finibanco com 51% das acções vendeu a sua participação à maior instituição bancária nigeriana em activos e em número de clientes.

Jan 22, 2024 - 15:36
Última atualização   - 17:18
O Banco Montepio deixa de ter qualquer exposição no mercado angolano, após venda de participação no Finibanco Angola ao nigeriano Access Bank
© Fotografia por: DR
O Banco Montepio deixa de ter qualquer exposição no mercado angolano, após venda de participação no Finibanco Angola ao nigeriano Access Bank

Em comunicado, o Grupo adianta que vendeu o Finibanco Angola (FNBA) e 51% do capital social e dos direitos de voto que detinha por um valor acima dos 27,2 milhões de euros, cerca de 25 mil milhões de kwanzas. 
O Finibanco Angola é um banco comercial com mais de 20 sucursais e cerca de 300 milhões de dólares de activos totais e opera em Angola desde 2008,entrou no grupo Montepio em 2010, aquando da aquisição do Finibanco por 350 milhões de euros, 100 milhões acima do valor de mercado.

A estrutura accionista do Finibanco é composta por dois accionistas colectivos, o grupo Montepio 51% e a Iberpartners empresa criada pelo empresário Jorge Armindo (ex-presidente da Portucel e actual líder da Amorim Turismo) 2,40%, e mais cinco sócios individuais, nomeadamente o banqueiro e dono do BNI, Mário Abílio Palhares detém 35,26%, o jurista Carlos Feijó 5,02%, o ex-presidente do conselho de administração da Angola Telecom, João Avelino Augusto Manuel 3,92%, Francisco Simão Júnior 1,60% e o deputado Dumilde das Chagas Rangel na qualidade de herdeira, detém os restantes 0,80%.

Access Bank PL, celebrou ainda acordos com accionistas minoritários do FNBA. De acordo com informações disponíveis no site oficial da instituição, o Access Bank possui agora 99,20% das acções e Dumilde das Chagas Simões Rangel, na qualidade de herdeira, detém os restantes 0,80%.

Assim sendo, obrigou a fazer o rebranding da marca agora como também mudou a sede transferindo-a para a Torre Victória Premium, na Avenida Gamal Abdel Nasser, nas Ingombotas.
 
O Access Bank tem uma rede de mais de 700 balcões e postos de atendimento em três continentes, contando com 45 milhões de clientes e 28 mil trabalhadores na Nigéria.

O banco detém ainda subsidiárias na África Subsaariana e no Reino Unido, a que se soma uma filial no Dubai e escritórios de representação na China, Líbano e Índia.