Cooperativas de pesca artesanal do Namibe beneficiam de crédito.

Trinta e uma cooperativa de pesca da província do Namibe vão beneficiar de créditos para dinamizar a sua actividade e aumentar o pescado no mercado nacional, segundo informou hoje, quinta-feira, o presidente da associação de pesca artezanal da província, José Vata.

O responsável deu a conhecer que, o Banco Millennium Atlântico tem uma carteira de crédito no valor de 250 milhões de kwanzas disponíveis para o referido programa, devendo apenas, cada membro da associação de pesca artezanal, ter os processos certos e completo.

“ Todos aqueles com a documentação completa vão poder beneficiar mais rapidamente do apoio para a dinamização das respectivas actividades” explicou, aquele responsável.

Adiantou ainda que em breve, iniciará o processo de abertura de contas bancárias de modos a facilitar o processo de crédito.

O Presidente da Comissão Executiva do banco Atlântico, Miguel Raposo Alves, garantiu que a Instituição bancária compromete-se em honrar o compromisso visando apoiar, o sector produtivo com vista dar soluções para o sector das pescas no Namibe.

“É nosso compromisso apoiar o desenvolvimento do sector primário que tem constantes necessidades de investimento” esclareceu, o bancário.

Já a Administradora executiva da área comercial do Banco Atlântico, Isabel Espírito Santo, disse que,  a actividade pesqueira é fundamental na economia da Província, sendo intenção contribuir para impulsionar ainda mais esta indústria e as comunidades envolvidas. 

O programa de financiamento é denominado "Malembe Malembe” (que traduzido do português significa "vamos devagar, para depois podermos ir mais longe”). Está assente no Aviso 10/22 do Banco Nacional de Angola (BNA). 

Com esta inicitativa o banco vai igualmente capacitar técnica e financeiramente a Associação de Pesca Artesanal da província do Namibe, sendo que, o protocolo foi  firmado, quarta-feira (19/07),.

O acordo prevê um limite inicial de um milhão de kwanzas e o máximo por operação de 20 milhões, uma taxa bonificada de 7.5 por cento e prazos de 120 meses.

O objectivo do programa é a promoção do desenvolvimento da pesca na região para aumentar a produção de peixes e atender à alta demanda do País. No âmbito do programa do governo, em diversificar a economia nacional.

Cooperativas de pesca artesanal do Namibe beneficiam de crédito

Trinta e uma cooperativa de pesca da província do Namibe vão beneficiar de créditos para dinamizar a sua actividade e aumentar o pescado no mercado nacional, segundo informou hoje, quinta-feira, o presidente da associação de pesca artezanal da província, José Vata.

Jul 20, 2023 - 17:04
Cooperativas de pesca artesanal do Namibe beneficiam de crédito
© Fotografia por: DR
Cooperativas de pesca artesanal do Namibe beneficiam de crédito

O responsável deu a conhecer que, o Banco Millennium Atlântico tem uma carteira de crédito no valor de 250 milhões de kwanzas disponíveis para o referido programa, devendo apenas, cada membro da associação de pesca artezanal, ter os processos certos e completo.

“ Todos aqueles com a documentação completa vão poder beneficiar mais rapidamente do apoio para a dinamização das respectivas actividades” explicou, aquele responsável.

Adiantou ainda que em breve, iniciará o processo de abertura de contas bancárias de modos a facilitar o processo de crédito.

O Presidente da Comissão Executiva do banco Atlântico, Miguel Raposo Alves, garantiu que a Instituição bancária compromete-se em honrar o compromisso visando apoiar, o sector produtivo com vista dar soluções para o sector das pescas no Namibe.

“É nosso compromisso apoiar o desenvolvimento do sector primário que tem constantes necessidades de investimento” esclareceu, o bancário.

Já a Administradora executiva da área comercial do Banco Atlântico, Isabel Espírito Santo, disse que,  a actividade pesqueira é fundamental na economia da Província, sendo intenção contribuir para impulsionar ainda mais esta indústria e as comunidades envolvidas. 

O programa de financiamento é denominado "Malembe Malembe” (que traduzido do português significa "vamos devagar, para depois podermos ir mais longe”). Está assente no Aviso 10/22 do Banco Nacional de Angola (BNA). 

Com esta inicitativa o banco vai igualmente capacitar técnica e financeiramente a Associação de Pesca Artesanal da província do Namibe, sendo que, o protocolo foi  firmado, quarta-feira (19/07),.

O acordo prevê um limite inicial de um milhão de kwanzas e o máximo por operação de 20 milhões, uma taxa bonificada de 7.5 por cento e prazos de 120 meses.

O objectivo do programa é a promoção do desenvolvimento da pesca na região para aumentar a produção de peixes e atender à alta demanda do País. No âmbito do programa do governo, em diversificar a economia nacional.

Kieto Economia Jornalismo profissional é antídoto para notícia falsa e intolerância