Famílias camponesas beneficiam de apoio financeiro da União Europeia.

Cento e 50 mil famílias camponesas vão a partir deste ano (2023) beneficiar de um financiamento para promover e fomentar agricultura familiar bem como, o agronegócio visando a auto-suficiência alimentar.

A informação é do Ministério da Agricultura e Florestas de Angola e a União Europeia, no âmbito do Programa de Fomento da Agricultura Familiar, estabelecido para o alcance da auto-suficiência alimentar no país.

Segundo o ministro da Agricultura e Florestas, António Francisco de Assis, a doação é destinada aos agricultores e detentores de agronegócios, assim como, de empreendimentos de desenvolvimento de negócios para melhorar os níveis de produção agrícola e alavancar a actividade.

A União Europeia teve a iniciativa e em cooperação com o Ministério e organizações internacionais, no quadro mais amplo do 11º (Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED), têm em vista o melhoramento do desempenho da cadeia agrícola e o apoio à sociedade civil, às Micros, Pequenas e Médias Empresas (MPME).

Consta igualmente nesta iniciativa os produtores rurais, inseridos no Programa de apoio sustentável dos pequenos agricultores no país, para desbloquear, acelerar e aumentar os investimentos em agricultura, incluindo silvicultura e aquicultura.

O acordo revela que o financiamento vai permitir que 25 a 30 empresas agrícolas aumentem o seu volume de negócios em 25 porcento visando garantir o seu auto sustento, aumentar a renda de 150 mil pequenos agricultores e criar 8 mil e 500 empregos fixo.

A fonte oficial, acrescenta que, o facto poderá ajudar no aumento da produção dos pequenos produtores em 90 porcento, com melhorias na entrada  dos mercado, prevendo resultar em impactos positivos  na diversidade alimentar e na segurança alimentar.

Para o efeito e ter sustentabilidade para se beneficiar do apoio financeiro, as famílias camponesas e os empreendedores em agronegócio deverão enviar as candidaturas para o endereçado disponibilizado em (https://rb.gy/zhk5) preenchendo o formulário para se habilitar ao financiamento.

O departamento ministerial avança ainda que o projecto visa promover maior acesso ao financiamento, como crédito para investimentos complementares, por parte, dos actores da cadeia de valor, dando nota positiva à entrega dos jovens agricultores.

Fonte: Correio da Kianda

Famílias camponesas beneficiam de apoio financeiro da União Europeia

Cento e 50 mil famílias camponesas vão a partir deste ano (2023) beneficiar de um financiamento para promover e fomentar agricultura familiar bem como, o agronegócio visando a auto-suficiência alimentar.

Ago 14, 2023 - 16:17
Última atualização   - 12:39
Famílias camponesas beneficiam de apoio financeiro da União Europeia
© Fotografia por: DR
Famílias camponesas beneficiam de apoio financeiro da União Europeia

A informação é do Ministério da Agricultura e Florestas de Angola e a União Europeia, no âmbito do Programa de Fomento da Agricultura Familiar, estabelecido para o alcance da auto-suficiência alimentar no país.

Segundo o ministro da Agricultura e Florestas, António Francisco de Assis, a doação é destinada aos agricultores e detentores de agronegócios, assim como, de empreendimentos de desenvolvimento de negócios para melhorar os níveis de produção agrícola e alavancar a actividade.

A União Europeia teve a iniciativa e em cooperação com o Ministério e organizações internacionais, no quadro mais amplo do 11º (Fundo Europeu de Desenvolvimento (FED), têm em vista o melhoramento do desempenho da cadeia agrícola e o apoio à sociedade civil, às Micros, Pequenas e Médias Empresas (MPME).

Consta igualmente nesta iniciativa os produtores rurais, inseridos no Programa de apoio sustentável dos pequenos agricultores no país, para desbloquear, acelerar e aumentar os investimentos em agricultura, incluindo silvicultura e aquicultura.

O acordo revela que o financiamento vai permitir que 25 a 30 empresas agrícolas aumentem o seu volume de negócios em 25 porcento visando garantir o seu auto sustento, aumentar a renda de 150 mil pequenos agricultores e criar 8 mil e 500 empregos fixo.

A fonte oficial, acrescenta que, o facto poderá ajudar no aumento da produção dos pequenos produtores em 90 porcento, com melhorias na entrada  dos mercado, prevendo resultar em impactos positivos  na diversidade alimentar e na segurança alimentar.

Para o efeito e ter sustentabilidade para se beneficiar do apoio financeiro, as famílias camponesas e os empreendedores em agronegócio deverão enviar as candidaturas para o endereçado disponibilizado em (https://rb.gy/zhk5) preenchendo o formulário para se habilitar ao financiamento.

O departamento ministerial avança ainda que o projecto visa promover maior acesso ao financiamento, como crédito para investimentos complementares, por parte, dos actores da cadeia de valor, dando nota positiva à entrega dos jovens agricultores.

Fonte: Correio da Kianda