Governo investe 153 mil milhões de kwanzas destinados a produção de alimentos e proteínas.

O Ministério das Finanças (MINFIN), no âmbito da implementação da Agenda Económica do Executivo, disponibilizou, esta segunda-feira, cerca de 153 mil milhões de kwanzas destinados a produção de alimentos e proteína animal, com estímulo a dinamização da economia nacional.

A nota de imprensa do MINFIN, da conta de que foi emitida uma garantia pública para o financiamento da campanha agrícola para o ano de 2024, dentro do programa da implementação da Agenda Económica do Executivo, sob lema “Medidas de Estímulo à Economia e de Dinamização do seu Potencial”.

O Banco Angolano de Investimento (BAI), especializado em concessão de crédito, constitui um  montante de  43 mil milhões de Kwanzas, uma taxa de juros de sete por cento ao ano, com maturidade de 12 meses, e tem por finalidade promover o desenvolvimento da produção agrícola nacional, bem como potencializar os produtores comerciais de grande, média e pequena dimensão.

No quadro deste processo, quatro instituições financeiras foram capitalizadas dentre essas, o Fundo de Garantia de Crédito (FGC), com o valor  de 50 mil milhões de Kwanzas, o FACRA, o FADA e o BDA. 
 
Ao Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), foi disponibilizado um financiamento na ordem de 20 mil milhões de kwanza, o que espelha a reafirmação do empenho do Executivo em concentrar o referido banco no exercício da sua função, a de apoiar na intensificação e diversificação de sectores com alto potencial de gerar rendimento ao crescimento económico, assim como também a de criar empregos com vista a recuperar  a actividade económica-social da população, por meio do fortalecimento da segurança alimentar, com o apoio ao desenvolvimento agrícola e a operacionalização do Planapesca e Planapecuária.

Para o Fundo Angolano de Capital de Risco (FACRA), é concedido o valor de  cinco mil milhões de Kwanzas, que visa apoiar iniciativas voltadas a segurança alimentar, através do plano de desenvolvimento de cadeias de gestão alimentar e que têm por finalidade facilitar o armazenamento, a conservação e o escoamento de produtos nos centros de produção.

É por via do FACRA, um órgão criado para financiar as pequenas e médias empresas, assim como projectos privados de implementação de pequenas indústrias e utensílios concentrados na valorização de cereais, grãos, café e algodão nos campos de cultivo que o governo pretende promover e diversificar a produção nacional. 

Portanto, os    recursos financeiros disponibilizados ao Fundo de Apoio de Desenvolvimento Agrário (FADA), estimados em cinco mil milhões de kwanzas vão servir de apoio as Caixas Comunitárias de cooperativas agrícolas, na qual serão operados e disponibilizados a uma taxa de juro máxima de sete por cento ao ano. 

De acordo com o Ministério das Finanças, este fez saber que o Ministério da Agricultura  recebe uma verba de 30 mil milhões de Kwanzas para a aquisição de insumos agrícolas, direcionados ao apoio à agricultura familiar.

O MINFIN esclarece que as referidas capitalizações concretizam a medida de apoio financeiro ao sector empresarial com  enfoque nas pequenas e médias empresas, de modo acelerar e a permitir o acesso a recursos financeiros por parte dos operadores privados, com iniciativas adequadas à diversificação económica nacional e ao reforço da segurança alimentar do país.

Fonte: MINFIN

Governo investe 153 mil milhões de kwanzas destinados a produção de alimentos e proteínas

O Ministério das Finanças (MINFIN), no âmbito da implementação da Agenda Económica do Executivo, disponibilizou, esta segunda-feira, cerca de 153 mil milhões de kwanzas destinados a produção de alimentos e proteína animal, com estímulo a dinamização da economia nacional.

Ago 30, 2023 - 17:45
Última atualização   - 17:52
Governo investe 153 mil milhões de kwanzas destinados a produção de alimentos e proteínas
© Fotografia por: DR
Governo investe 153 mil milhões de kwanzas destinados a produção de alimentos e proteínas

A nota de imprensa do MINFIN, da conta de que foi emitida uma garantia pública para o financiamento da campanha agrícola para o ano de 2024, dentro do programa da implementação da Agenda Económica do Executivo, sob lema “Medidas de Estímulo à Economia e de Dinamização do seu Potencial”.

O Banco Angolano de Investimento (BAI), especializado em concessão de crédito, constitui um  montante de  43 mil milhões de Kwanzas, uma taxa de juros de sete por cento ao ano, com maturidade de 12 meses, e tem por finalidade promover o desenvolvimento da produção agrícola nacional, bem como potencializar os produtores comerciais de grande, média e pequena dimensão.

No quadro deste processo, quatro instituições financeiras foram capitalizadas dentre essas, o Fundo de Garantia de Crédito (FGC), com o valor  de 50 mil milhões de Kwanzas, o FACRA, o FADA e o BDA. 
 
Ao Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), foi disponibilizado um financiamento na ordem de 20 mil milhões de kwanza, o que espelha a reafirmação do empenho do Executivo em concentrar o referido banco no exercício da sua função, a de apoiar na intensificação e diversificação de sectores com alto potencial de gerar rendimento ao crescimento económico, assim como também a de criar empregos com vista a recuperar  a actividade económica-social da população, por meio do fortalecimento da segurança alimentar, com o apoio ao desenvolvimento agrícola e a operacionalização do Planapesca e Planapecuária.

Para o Fundo Angolano de Capital de Risco (FACRA), é concedido o valor de  cinco mil milhões de Kwanzas, que visa apoiar iniciativas voltadas a segurança alimentar, através do plano de desenvolvimento de cadeias de gestão alimentar e que têm por finalidade facilitar o armazenamento, a conservação e o escoamento de produtos nos centros de produção.

É por via do FACRA, um órgão criado para financiar as pequenas e médias empresas, assim como projectos privados de implementação de pequenas indústrias e utensílios concentrados na valorização de cereais, grãos, café e algodão nos campos de cultivo que o governo pretende promover e diversificar a produção nacional. 

Portanto, os    recursos financeiros disponibilizados ao Fundo de Apoio de Desenvolvimento Agrário (FADA), estimados em cinco mil milhões de kwanzas vão servir de apoio as Caixas Comunitárias de cooperativas agrícolas, na qual serão operados e disponibilizados a uma taxa de juro máxima de sete por cento ao ano. 

De acordo com o Ministério das Finanças, este fez saber que o Ministério da Agricultura  recebe uma verba de 30 mil milhões de Kwanzas para a aquisição de insumos agrícolas, direcionados ao apoio à agricultura familiar.

O MINFIN esclarece que as referidas capitalizações concretizam a medida de apoio financeiro ao sector empresarial com  enfoque nas pequenas e médias empresas, de modo acelerar e a permitir o acesso a recursos financeiros por parte dos operadores privados, com iniciativas adequadas à diversificação económica nacional e ao reforço da segurança alimentar do país.

Fonte: MINFIN