Banco Central Europeu sobe taxas de juro em 25 pontos base.

O banco central dos países da União Europeia que adotaram o euro (BCE) anunciou uma nova subida das três taxas de juro diretoras em 25 pontos base, com efeitos a partir de 20 de setembro de 2023.

Esta é a décima subida consecutiva registada pelo banco central, tendo subido em 450 pontos percentuais desde julho do ano passado, considerado o ciclo mais célere da história da zona euro.

Em comunicado divulgado após a reunião de política monetária do Conselho de Governadores dos bancos Europeus, liderada pela presidente do BCE, Christine Lagarde, onde decidiu-se aumentar as três taxas de juro, nomeadamente a taxa de operações principais de refinanciamento, de cedência de liquidez e a de depósito.

Nessa conformidade, a taxa de juro aplicável às operações principais de refinanciamento subiu para 4,50%, os juros aplicáveis à facilidade permanente de cedência de liquidez passou para 4,75% e a de facilidade permanente de depósito para quatro por cento, respetivamente. 

A nota informa que o aumento das taxas de juros, se reflete na avaliação do Conselho do BCE e na perspetiva de inflação à luz dos dados económicos e financeiros disponíveis, na dinâmica da inflação subjacente e da força de transmissão da política monetária.

Com base na sua atual avaliação, o Conselho do banco considera que as taxas de juro diretoras atingiram um nível que se for mantido durante um período suficientemente longo darão um contributo substancial para o retorno atempado da inflação ao objectivo pretendido. 

As futuras decisões do BCE vão assegurar que as taxas de juro diretoras sejam fixadas em níveis suficientemente restritivos, isso durante o tempo que for preciso. 

Lembrar que, o Conselho do BCE é o principal órgão de decisão que integra os seis membros da Comissão Executiva e os 26 (membros) governadores dos bancos centrais nacionais dos países da zona euro e, que reúne normalmente duas vezes ao mês, nas suas instalações em Frankfurt am Main, na Alemanha.

Banco Central Europeu sobe taxas de juro em 25 pontos base

O banco central dos países da União Europeia que adotaram o euro (BCE) anunciou uma nova subida das três taxas de juro diretoras em 25 pontos base, com efeitos a partir de 20 de setembro de 2023.

Set 19, 2023 - 09:03
Última atualização   - 09:05
Banco Central Europeu sobe taxas de juro em 25 pontos base
© Fotografia por: DR
Banco Central Europeu sobe taxas de juro em 25 pontos base

Esta é a décima subida consecutiva registada pelo banco central, tendo subido em 450 pontos percentuais desde julho do ano passado, considerado o ciclo mais célere da história da zona euro.

Em comunicado divulgado após a reunião de política monetária do Conselho de Governadores dos bancos Europeus, liderada pela presidente do BCE, Christine Lagarde, onde decidiu-se aumentar as três taxas de juro, nomeadamente a taxa de operações principais de refinanciamento, de cedência de liquidez e a de depósito.

Nessa conformidade, a taxa de juro aplicável às operações principais de refinanciamento subiu para 4,50%, os juros aplicáveis à facilidade permanente de cedência de liquidez passou para 4,75% e a de facilidade permanente de depósito para quatro por cento, respetivamente. 

A nota informa que o aumento das taxas de juros, se reflete na avaliação do Conselho do BCE e na perspetiva de inflação à luz dos dados económicos e financeiros disponíveis, na dinâmica da inflação subjacente e da força de transmissão da política monetária.

Com base na sua atual avaliação, o Conselho do banco considera que as taxas de juro diretoras atingiram um nível que se for mantido durante um período suficientemente longo darão um contributo substancial para o retorno atempado da inflação ao objectivo pretendido. 

As futuras decisões do BCE vão assegurar que as taxas de juro diretoras sejam fixadas em níveis suficientemente restritivos, isso durante o tempo que for preciso. 

Lembrar que, o Conselho do BCE é o principal órgão de decisão que integra os seis membros da Comissão Executiva e os 26 (membros) governadores dos bancos centrais nacionais dos países da zona euro e, que reúne normalmente duas vezes ao mês, nas suas instalações em Frankfurt am Main, na Alemanha.