Grupo Carrinho vai herdar parte da carteira do BCI avaliada em 129 milhões Kz.

O grupo empresarial angolano (Carrinho), através da criação do Prospectum Capital, Sociedade Corretora de Valores Mobiliários (SCVM), vai herdar parte da carteira do BCI avaliada em 129.566 milhões de kwanzas.

A Comissão do Mercado de Capitais (CMC) confirmou, na quarta-feira, 20, o registo da Prospectum Capital, Sociedade Corretora de Valores Mobiliários (SCVM), facto que da abertura para a entrada de sete corretoras e distribuidoras que têm bancos como accionistas ou que tenham accionistas de bancos como investidores. Nesta senda, o Banco Económico e o BIC não entrarão neste segmento.

Com esta confirmação, a empresa ligada aos investimentos do Grupo Carrinho torna-se na sétima corretora registada no País. Por outro lado, o grupo também é accionista do BCI (possui a nona maior carteira de títulos entre os bancos comerciais), o que eleva para sete o número de bancos com maior carteira de títulos que decidiram abrir uma corretora ou distribuidora.

A data limite para os bancos transferirem as carteiras de títulos de dívida pública na sua posse para corretoras e distribuidoras de valores mobiliários vai até o final do ano 2023. Porém, antes mesmo do término, o banco BCI está entre as instituições bancárias que directa ou indirectamente vão ser accionistas das entidades que vão herdar as operações do mercado de capitais.

A lista integra 10 dos bancos que registaram maior volume de carteiras de títulos de dívida pública, sendo que apenas o BIC, na terceira posição, o banco Económico, na sexta, assumiram publicamente que não vão avançar para a abertura de distribuidoras ou corretoras de valores mobiliários.

Insta da mesma seleção, o BAI, que possui a maior carteira de títulos entre os bancos comerciais, avaliada em 1.848.119 Kz, foi o primeiro a abrir a sua distribuidora (Aurea). Seguiu-se o BFA, dono da segunda maior carteira de títulos do mercado (avaliada em 1.126.683 milhões Kz), que abriu a distribuidora BFA Capital Markets.

Seguiram-se os donos da sexta e sétima maiores carteiras de títulos, Banco Sol e Standard Bank de Angola. O sétimo a solicitar a abertura de uma entidade é o BPC, que possui a terceira maior carteira de títulos de dívida pública avaliada em mais de 864 mil milhões Kz.

No entanto, o banco Atlântico assume que não vai avançar directamente para a abertura de uma distribuidora ou corretora. Mas sabe-se que a Hemera Capital Partners, de acordo com fontes ligadas ao processo, tem na sua génese alguns accionistas do banco e está no processo de abertura da sua distribuidora de valores mobiliários.

Todavia, há entidades registadas que não estão no site da CMC, pelo que a comissão informou, na quarta-feira, 20, a todas as entidades que concluíram o processo de registo, que não foi possível a actualização da informação no website institucional da entidade reguladora do mercado de capitais.

“Há 8 entidades que já foram registadas mas que ainda não estão no website” lê-se no comunicado, dentre elas a Pareto Consulting Lda, consultora para investimento e analista financeira, a Prospectum Capital -SCVM, S.A, a Soares Nunes Soluções Lda, auditor externo e pessoa colectiva e o fundo especial de investimento em valores mobiliários fechado de subscrição pública, Standard Invest, e os Peritos Avaliadores Imobiliários e Habitação Lda.

Fonte: Expansão

Grupo Carrinho vai herdar parte da carteira do BCI avaliada em 129 milhões Kz

O grupo empresarial angolano (Carrinho), através da criação do Prospectum Capital, Sociedade Corretora de Valores Mobiliários (SCVM), vai herdar parte da carteira do BCI avaliada em 129.566 milhões de kwanzas.

Dez 28, 2023 - 16:51
Última atualização   - 13:59
Grupo Carrinho vai herdar parte da carteira do BCI avaliada em 129 milhões Kz
© Fotografia por: DR
Grupo Carrinho vai herdar parte da carteira do BCI avaliada em 129 milhões Kz

A Comissão do Mercado de Capitais (CMC) confirmou, na quarta-feira, 20, o registo da Prospectum Capital, Sociedade Corretora de Valores Mobiliários (SCVM), facto que da abertura para a entrada de sete corretoras e distribuidoras que têm bancos como accionistas ou que tenham accionistas de bancos como investidores. Nesta senda, o Banco Económico e o BIC não entrarão neste segmento.

Com esta confirmação, a empresa ligada aos investimentos do Grupo Carrinho torna-se na sétima corretora registada no País. Por outro lado, o grupo também é accionista do BCI (possui a nona maior carteira de títulos entre os bancos comerciais), o que eleva para sete o número de bancos com maior carteira de títulos que decidiram abrir uma corretora ou distribuidora.

A data limite para os bancos transferirem as carteiras de títulos de dívida pública na sua posse para corretoras e distribuidoras de valores mobiliários vai até o final do ano 2023. Porém, antes mesmo do término, o banco BCI está entre as instituições bancárias que directa ou indirectamente vão ser accionistas das entidades que vão herdar as operações do mercado de capitais.

A lista integra 10 dos bancos que registaram maior volume de carteiras de títulos de dívida pública, sendo que apenas o BIC, na terceira posição, o banco Económico, na sexta, assumiram publicamente que não vão avançar para a abertura de distribuidoras ou corretoras de valores mobiliários.

Insta da mesma seleção, o BAI, que possui a maior carteira de títulos entre os bancos comerciais, avaliada em 1.848.119 Kz, foi o primeiro a abrir a sua distribuidora (Aurea). Seguiu-se o BFA, dono da segunda maior carteira de títulos do mercado (avaliada em 1.126.683 milhões Kz), que abriu a distribuidora BFA Capital Markets.

Seguiram-se os donos da sexta e sétima maiores carteiras de títulos, Banco Sol e Standard Bank de Angola. O sétimo a solicitar a abertura de uma entidade é o BPC, que possui a terceira maior carteira de títulos de dívida pública avaliada em mais de 864 mil milhões Kz.

No entanto, o banco Atlântico assume que não vai avançar directamente para a abertura de uma distribuidora ou corretora. Mas sabe-se que a Hemera Capital Partners, de acordo com fontes ligadas ao processo, tem na sua génese alguns accionistas do banco e está no processo de abertura da sua distribuidora de valores mobiliários.

Todavia, há entidades registadas que não estão no site da CMC, pelo que a comissão informou, na quarta-feira, 20, a todas as entidades que concluíram o processo de registo, que não foi possível a actualização da informação no website institucional da entidade reguladora do mercado de capitais.

“Há 8 entidades que já foram registadas mas que ainda não estão no website” lê-se no comunicado, dentre elas a Pareto Consulting Lda, consultora para investimento e analista financeira, a Prospectum Capital -SCVM, S.A, a Soares Nunes Soluções Lda, auditor externo e pessoa colectiva e o fundo especial de investimento em valores mobiliários fechado de subscrição pública, Standard Invest, e os Peritos Avaliadores Imobiliários e Habitação Lda.

Fonte: Expansão